Páginas

Número de Visitas

Seguidores

Olá amigos!

Acreditamos que há uma outra história da humanidade a ser contada. A maioria dos posts baseiam-se nos estudos dos meus autores preferidos.

Cito alguns: Zacharia Sitchin, J. J. Benitez, Robert Bauval, Graham Hancock, Erich Von Daniken, entre outros.

Com o desaparecimento da biblioteca de Alexandria uma grande parte da nossa história foi perdida, mas com a descoberta da biblioteca do rei assírio Assurbanipal, parte dela foi recuperada para nos trazer um pouco mais de luz sobre a historia da humanidade. Mais info aqui: http://pt.wikipedia.org/wiki/Biblioteca_de_Ninive

Wanderley Xavier

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

ORIGEM COMUM DAS RELIGIÕES - Parte II

A união de deuses e seres humanos também é uma crença que se perde no tempo, cria-se que destas uniões nasciam homens que eram a própria encarnação divina, na Índia eram chamados de avataras, filhos dos deuses e mensageiros dos deuses. A mitologia dos mais diversos povos sempre há um semi-deus entrando em contato com o homem. Há uma lenda grega que fala de Prometeu,ele foi julgado, sentenciado e acorrentado no monte Elbrus por ter dado fogo aos homens. O filósofo romano Sêneca (4 a.C – 65 d.C.), contava esta estória.

O poeta romano Ovídio (43 a.C. – 18 d.C.), cita outro semi-deus salvador, Esculápio, que também nasceu de uma virgem e cuja vida apresenta pontos semelhantes a de Jesus. Bel, deus babilônio, foi aprisionado, julgado, chicoteado e levado ao monte com dois criminosos, sendo morto também ressuscita. Os detalhes desta fábula não nos chegou por tradição oral, mas foram decifrados por Henry Rawlinson da rocha de Behistun, que acha-se próxima das ruínas da antiga babilônia. Foi através desta e outras traduções que se descobriu que fatos do Antigo e Novo Testamento se assemelham com aqueles presentes nas lendas babilônicas. Os babilônios falavam da criação do mundo em seis dias; do dia de descanso, que era o sétimo, o sabbatu; de Adão e Eva; da torre de Babel; de um bebê encontrado ás margens de um rio entre os juncos que se tornou o lendário rei Sargão da Acádia.

Presume-se que estas informações foram assimiladas pelos judeus durante o tempo que lá estiveram aprisionados por volta do século VI, as quais foram incorporadas as suas próprias tradições que hoje fazem parte da Bíblia. Outro fato que não pode passar despercebido diz respeito aos nomes das virgens mães dos deuses, são elas: Maria, Mariana, Mara, Maya etc. A letra M presente nestes nomes não é por acaso, já que em muitas línguas antigas é símbolo do mar e da água.

A lenda de Krishna, o deus dos hindus, tem inúmeros detalhes que também aparecem nos Evangelhos. Algumas imagens mostram este semi-deus hindu amarrado em uma árvore com uma tira ao redor da cabeça que representa uma coroa de espinho. As expressões Cordeiro de Deus, Luz do Mundo, Bom Pastor, também eram usadas pelos adoradores de Mitra. A oração conhecida com Pai-Nosso, que muitos cristãos pensam ter surgido com o cristianismo é antiqüíssima, data do IV milênio, a placa onde aparece esta oração foi descoberta em 1882, é uma prece originária da Caldéia.

Quanto aos rituais usados pelos cristãos, a água benta era empregada pelos hindus, egípcios, gregos e romanos. O batismo infantil é de origem romana. A eucaristia era um ritual pagão realizado logo após as colheitas, em agradecimento a Ceres e Baco. Antropólogos e grandes pesquisadores do passado oculto da humanidade já escreveram sobre as origens das religiões, o inglês Robert Graves talvez tenha feito um dos livros mais contundentes sobre o tema, The Sixteen World’s Crucified Saviours – Os Dezesseis Salvadores Crucificados do Mundo, o qual eu recomendo.

By W.X.

http://youtube.com/watch?v=EQLD59fK_Iw&feature=related

ORIGEM COMUM DAS RELIGIÕES - Parte I

Dando uma breve olhada nas filosofias orientais alguns aspectos nos chamam atenção, entre eles a semelhança entre seu ensino e o dos cristãos. Neste ponto vêm a tona algumas indiscretas e fascinantes perguntas: Quantas coisas a tradição cristã absorveu das religiões mais antigas que ela? Não é uma atitude infantil pensar que há apenas uma religião verdadeira e que ela seja justamente aquela que eu professo? Colocados diante da sabedoria universal, vemos que a nossa insignificância é infinita. Então, o estudante é forçado a concluir, como Sócrates: “Só sei que nada sei.” O lado bom de reconhecermos nossa ignorância é que assim começamos a aprender uma importante lição. Há uma inegável ligação entre a mensagem cristã e as antigas tradições religiosas do Extremo-Oriente. Lembro que esta identidade entre o novo e o velho não é casual. O autor do Eclesiastes escreveu: “O que foi, será; o que se fez, se tornará a fazer; nada há de novo sob o céu.” (1:9;)

O estudo comparado das religiões revela milhares de indícios de que existe uma única verdade suprema e infinita inspirando as mais diferentes religiões ao longo de milênios. O principal ensino de Jesus, “Tudo aquilo que vocês quiserem que os homens lhes façam, façam vocês a eles porque esta é a lei...” (MT 7:12;) Este ensino não surgiu com Jesus, pois no século V na China, Confúcio ensinara (Lun-Yu, V-11): “O que não desejo que me façam os outros, tampouco desejo fazê-lo eu aos outros.” No Antigo Testamento lemos no livro de Tobias, que foi provavelmente escrito no século II a.C.: “Não faças a ninguém o que não queres que te façam.” (Tob 4:1b;) A lei da causa e efeito, há muito ensinada no hinduísmo como a lei do carma ou do equilíbrio aparece nos ensinos do apóstolo Paulo: “Tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gl 6:7;)Também no Antigo Testamento o autor do Eclesiastico ensina: “Não faças o mal e o mal não se apoderará de ti; afasta-te da injustiça e ela se desviará de ti. Filho, não semeies nos sulcos da injustiça, para não colheres sete por um.” (7:1-3;)


Quando no passado alguém apresentava fatos contrariando o que fora estabelecido pela igreja, era acusado de heresia e de estar mancomunado com o Diabo. Os inquisitores auxiliados pelo braço secular da lei, conduziam o acusado á prisão e convencido a desdizer o que fora dito, caso contrário seria levado a fogueira. Alguns, como Galileu, se retrataram e a crença errônea de que o sol girava ao redor da Terra continuou vigorando por muitos séculos. Outros, contudo, como Giordano Bruno, preferiram morrer a negar as suas hipóteses. Muitas das mentiras e superstições que ainda hoje permanecem se devem a interferência da religião. Quando lemos em um contrato o termo “Ato de Deus”, nem percebemos que aí está mais uma influência da visão religiosa equivocada, pois ao Criador são atribuídas as catástrofes naturais e fenômenos atmosféricos.

Segundo a mitologia grega, Zeus, geralmente retratado com um raio na mão, o qual corresponde ao Júpiter romano, era o Deus do céu e do tempo, à ele eram imputadas as tragédias como terremotos, furacões e outros. Em cima desta e outras crenças primitivas, os sacerdotes aos poucos criaram um sistema religioso com rituais e cerimônias, cujos vestígios destes ainda hoje aí estão. Por muitos milênios a veneração dos astros - sol, lua, Terra, planetas e estrelas – fazia parte de um sistema religioso predominante nas principais culturas do mundo antigo por nós conhecidas. Neste contexto a astrologia tinha um papel fundamental para estabelecer a harmonia entre os eventos terrenos e os eventos celestiais, refiro-me aos movimentos do sol, da lua e dos planetas. Assim nasceram as religiões primitivas baseadas em solstícios e equinócios. Não é por acaso que o nome de Mitra ainda hoje seja lembrado em expressões como, ”mitra papal, mitra diocesana” e o santíssimo sacramento tenha sido estilizado no formato do sol com seus raios.

As religiões que aí estão foram obviamente sendo moldadas ao longo dos séculos, mas todas guardam resquícios de uma mesma origem. Nenhum dos seus supostos fundadores, os chamados enviados divinos, cogitou elaborar o sistema doutrinário pelo qual estas hoje se fundamentam. Com o cristianismo, foco deste estudo, também não foi diferente, dos diversos grupos cristãos da era primitiva (Jerusalém, Alexandria, colônias gregas da Ásia Menor, Roma, Constantinopla), predominou justamente aquele que caiu nas graças do governante da época, no caso Constantino, até hoje seus toques não nos deixam mentir, mudou a guarda do sábado para domingo, interferiu em questões doutrinarias referente a própria trindade entre outras; Mitra recebeu sua devida honra.

Qualquer religião, com seus dogmas e rituais, apresenta pontos de ligação e mitos relacionados com mitologias primitivas, há muito pouco de originalidade. Em alguns casos é a cópia da cópia mesmo. Se Jesus aqui retornasse provavelmente não reconheceria nenhuma das comunidades religiosas que por aí estão, mesmo as que se dizem mais puritanas, como bem sabemos os únicos mandamentos que ele deixou foi o amor ao próximo e ao Criador.

Uma pergunta que comumente me é feita diz respeito a real existência de Jesus, Buda, Krishna, Zoroastro; além de outras fantásticas figuras menos conhecidas como Apolônio de Tiana, Saint Germain etc. A mitologia é a história metamorfoseada, transformada e desfigurada pela tradição, precisamos ter um filtro especial para avaliarmos os mitos e tal instrumento não encontramos na livraria da esquina, só os iniciados nos grandes mistérios, principalmente os garimpeiros de obras como as de H.P. Blavatsky, é que poderão delinear o que é e o que não é.

Os nascimentos virginais aparecem como um fato que não pode ser menosprezado se quisermos entender uma das crenças que sustenta a teologia cristã. O homem primitivo divinizava o sol, pois concluiu que este havia fecundado a Terra virgem como seu calor e com as chuvas, seu sêmen. Desta união surgiu a natureza. Esta crença foi se solidificando com o passar dos séculos. Na mitologia grega Apolo é apontado como um deus solar, mas além dele Hércules, Baco, Hermes, Adônis etc. O próprio imperador persa Ciro, o grande (559-530 a.C.), era considerado filho do sol. Na antiguidade os homens que se destacavam na vida social por seu carisma, imperadores, reis; e também notáveis mestres, eram chamados de “filhos do sol”, um sinônimo da expressão “filhos de Deus”. Continua...

Vide - Raízes do Cristianismo by W.X.

http://youtube.com/watch?v=QQ-kvw1fYXs



ASPECTOS DA RELIGIÃO EUROPÉIA PRÉ-CRISTÃ


É difícil compreendermos como e onde surgiu a concepção integral do mundo e da vida como um todo que norteou os principais povos da antiguidade. A base de suas crenças obedecia os mesmos parâmetros: o homem, a natureza, a Terra e os astros; eram para eles entidades de dependência mútua. Para os celtas alguns locais estavam ligados por canais energéticos, os quais poderiam ser detectados pelo uso de uma simples varinha de algumas plantas. Locais como Avebury, Stonehenge e muitos lugares na Grã-Bretanha e na França mostram marcações (megálitos – menires, dolmens, cromelechs) que demonstram suas práticas religiosas baseadas na interação energética entre o homem e o meio, a Terra e os astros.

Várias civilizações da pré-história da Terra, incluindo algumas ocidentais, conheciam a importância dos pontos e das linhas energéticas do planeta e construíam monumentos, pirâmides, templos sobre estes locais pela provável ligação destes com o mundo extra-físico. Como exemplos podemos apontar as pirâmides maias do Yucatan no México e as egípcias de Gizé; a cidade de Machu-Pichu no Peru; a catedral de Compostela na Espanha; as ruínas celtas de Stonehenge, Avebury e Newgrange na Inglaterra; o mosteiro do Monte Saint Michel, a catedral de Chartres na França; e o mosteiro de Potala no Tibet etc.

A idéia que a Terra é um ser vivo, dotado de corpo físico, de alma, inteligência e espírito, remonta á origem dos tempos e está na base de todas as crenças antigas que deram origem as mais antigas religiões da humanidade. Esta concepção da Terra como um organismo vivo nos dá a idéia do que são os chamados lugares sagrados pelos antigos. Do mesmo modo que o organismo humano apresenta uma estrutura energética, representada pelo nosso corpo sutil com seus sistemas de chacras (centros ou vórtices de energia) e os meridianos (canais energéticos usados pela acupuntura), também a Terra possuiu uma engrenagem energética sutil. Inumeráveis fluxos e canais de energia percorrem a superfície do planeta. Lugares considerados sagrados pelos antigos encontram-se no entroncamento de dois ou mais desses fluxos, os quais a igreja cristã aproveitou para neles construír seus templos e catedrais.

A TERRA COMO DEUSA

A Terra como deusa materna estava no centro da cultura megalítica da Europa ocidental que se espalhara desde a Espanha até a Inglaterra e ilhas britânicas; da Alemanha (norte) ao sul da Escandinávia. Considerava-se que a Terra estava ligada ao sol, a lua, aos planetas e as constelações energéticas. Também encontramos nas ruínas de Çatal Huyuk, antiga cidade encontrada no sul da Turquia (8 mil anos a.C.) e nas ruínas de Harappa e Mohenjo Daro, na Índia (5 mil anos a.C.), vestígios de uma religião baseada nas forças da natureza, e na interação entre a Terra e os astros.


Max Heindel, fundador de uma das linhas da Ordem Rosa Cruz (teosofia) também enfatiza que a Terra não possui apenas corpo físico, mas um corpo energético e mental. Dentro desta visão, cada planeta não é um ser inanimado, mas uma entidade possuidora de individualidade; deste modo a Terra era cultuada como uma verdadeira divindade digna de culto, celebração e oferendas.

ASTROTEOLOGIA: O RITMO DA VIDA DITADO PELOS ASTROS

O movimento do sol, da lua, planetas e estrelas ditava para os povos antigos o ritmo de suas vidas. A consciência de que a Terra se relacionava com os astros e dependia deles para a sua sobrevivência e a de seus filhos, inspirou os povos pré-históricos a elaborar uma religião astroteológica. Os monumentos pré-históricos eram posicionados em relação ao nascer e ao pôr do sol em datas como os solstícios de verão e inverno. As civilizações antigas dependiam de precisão astronômica, pois este conhecimento era responsável por sua sobrevivência. Para aqueles povos a data do plantio e da colheita eram considerados sagrados, e para que nenhum equívoco fosse cometido, a compreensão dos movimentos solares e lunares alcançou quase a perfeição.

O sol era considerado uma divindade masculina, enquanto a Terra era identificada como seu oposto feminino. Ambos estavam ligados – uma espécie de simbiose sagrada – representavam a polaridade positiva e negativa que gerava a vida. Na Grã-Bretanha há pelo menos 2 mil marcações inspiradas nas posições solares; eram verdadeiros calendários, através do comprimento de suas sombras era possível saber a hora do dia e a estação do ano. A religião da Europa pré-histórica, bem como das culturas egípcias e mesopotâmicas, tinha como base a união, o casamento sagrado da Terra e do sol. Era comemorado todos os anos no dia do solstício de verão (21 de junho), o dia mais longo do ano, dia da luz.

No hemisfério sul, onde esta tradição é imitada, ocorre o contrário, 21 de junho, é o dia mais curto do ano. Este era o dia da vitória da divindade solar, que no decorrer da primavera vencera as trevas do inverno. O deus-sol casava num ritual sagrado com a deusa-Terra. Este casamento era uma celebração, um culto a fertilidade, cujo resultado se tornava claro na época da colheita, no final de agosto. Era este o sentido esotérico e religioso do solstício de verão.

Nas culturas mais significativas do passado da humanidade, até onde podemos pesquisar, há a presença de um culto ao sol. Entre os babilônios encontramos o culto a Tammuz. O culto a este deus encontra equivalência em todas as culturas agrícolas. Consistia de um sacrifício ritual, assim como o trigo que é ceifado e renasce na colheita seguinte, na encenação do mito de Tammuz, o sacerdote ou rei, seu representante, era morto e oferecido em sacrifício para assegurar a fertilidade da Terra para o próximo ano.

Extraído do livro Raízes do Cristianismo by W. X.

http://youtube.com/watch?v=ZzY2bVsZK5s&feature=related

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

CAVERNA GLOBAL DE SEMENTES

Uma coisa da qual o fundador da Microsoft, Bill Gates, não pode ser acusado é de ser indolente. Aos 14 anos já fazia programação, aos 20, era ainda estudante em Harvard, fundou a Microsoft. Em 1995 aparecia na listagem da Forbes como o homem mais rico do mundo por ser o maior accionista da Microsoft, uma empresa que, mercê da sua direção rígida, se constituiu num verdadeiro monopólio dos sistemas de software para computadores pessoais. Em 2006, quando a maior parte das pessoas na situação dele pensa em retirar-se para uma tranqüila ilha do Pacífico, Bill Gates decidiu dedicar as suas energias à sua Fundação Bill e Melinda Gates, a maior fundação privada 'transparente' do mundo, como ele diz, com uma doação de uns esmagadores 34,6 mil milhões de dólares e a imposição legal de gastar 1,5 milhões de dólares por ano em projetos filantrópicos a nível mundial a fim de manter o estatuto filantrópico para isenção de impostos.

Em 2006, a oferta do seu amigo e sócio, o mega-investidor Warren Buffet, de ações no Buffet's Berkshire Hathaway no valor de uns 30 milhões de dólares, colocou a fundação de Gates em posição de poder gastar quase o mesmo valor de todo o orçamento anual da Organização Mundial de Saúde das Nações Unidas. Por isso, quando Bill Gates decide utilizar a Fundação Gates para investir num projeto cerca de 30 milhões de dólares do seu dinheiro, vale a pena analisar esse projeto. Não há nenhum outro projeto mais interessante de momento do que este muito estranho num dos cantos mais remotos do mundo, Svalbard. Bill Gates investiu milhões, num banco de sementes no Mar Barents perto do Oceano Ártico, a cerca de 1100 quilômetros do Pólo Norte. Svalbard é um árido pedaço de rocha reclamado pela Noruega e cedido em 1925 por um tratado internacional (ver mapa).

É nesta ilha esquecida por Deus, que Bill Gates está a investir dezenas dos seus milhões em conjunto com a Fundação Rockefeller, a Monsanto Corporation, a Fundação Syngenta e o governo da Noruega, entre outros, naquilo que é chamado de 'banco de sementes do fim do mundo'. Oficialmente o projeto chama-se a Caverna Global de Sementes Svalbard (Svalbard Global Seed Vault) na ilha norueguesa de Spitsbergen, no arquipélago de Svalbard.
O banco de sementes está a ser construído no interior de uma montanha na ilha de Spitsbergen perto da aldeia de Longyearbven. Está pronto para o 'negócio', de acordo com os comunicados. O banco vai ter portas duplas à prova de explosão com sensores de movimento, duas câmaras pressurizadas e paredes reforçada a aço com um metro de espessura. Conterá mais de três milhões de variedades diferentes de sementes de todo o mundo, 'para que se possa conservar a variedade das espécies para o futuro', segundo o governo norueguês. As sementes vão ser embaladas de forma especial para proteção contra a umidade. Não haverá pessoal a tempo inteiro, mas a relativa inacessibilidade da caverna facilitará a fiscalização de qualquer possível atividade humana. Fala-nos alguma coisa? Os comunicados de imprensa afirmaram, 'para que se possa conservar a variedade das espécies para o futuro'. Que futuro é esse que os patrocinadores do banco de sementes prevêem que poderá vir a ameaçar a disponibilidade global das sementes atuais, quando a maior parte delas já está bem protegida em bancos de sementes existentes em todo o mundo? Sempre que Bill Gates, a Fundação Rockefeller, a Monsanto e a Syngenta se juntam num projeto comum, vale a pena escavar um pouco mais por detrás das rochas de Spitsbergen. Se o fizermos vamos encontrar coisas fascinantes.

O primeiro ponto digno de nota é saber quem é que patrocina a caverna de sementes do fim do mundo. Aqui, em conjunto com os noruegueses, estão, conforme já dito, a Fundação Bill & Melinda Gates; o gigante americano da 'agribusiness' DuPont/Pioneer Hi-Bred, um dos maiores proprietários mundiais de patentes de sementes de organismos geneticamente modificados (OGM) e de agroquímicos afins; a Syngenta, a importante companhia de sementes OGM e agroquímicos, com sede na Suíça, através da Fundação Syngenta; a Fundação Rockefeller, um grupo privado que criou a "revolução genética com mais de 100 milhões de dólares em sementes desde os anos 70; o CGIAR, a rede global criada pela Fundação Rockefeller para promover o seu ideal de pureza genética através da alteração da agricultura. O CGIAR e 'O Projeto' Conforme pormenorizei no livro 'Seeds of Destruction', a Fundação Rockefeller, o Conselho para Desenvolvimento da Agricultura de John D. Rockefeller III e a Fundação Ford juntaram esforços em 1960 para criar o Instituto Internacional de Investigação do Arroz (IIIR) em Los Baños, nas Filipinas.


Em 1971, o IIIR da Fundação Rockefeller, em conjunto com o seu Centro Internacional de Melhoramento do Milho e do Trigo, com sede no México, e com mais outros dois centros internacionais de investigação criados pelas Fundações Rockefeller e Ford, o IITA para a agricultura tropical, na Nigéria, e o IIIR para o arroz, nas Filipinas, aliaram-se para formar um único Grupo Consultivo para Investigação Agrícola Internacional (Consultative Group on International Agriculture Research - CGIAR) O CGIAR foi delineado numa série de conferências privadas realizadas no centro de conferências da Fundação Rockefeller em Bellagio, na Itália. Os participantes chave nas conversações de Bellagio foram George Harrar, da Fundação Rockefeller, Forrest Hill da Fundação Ford, Robert McNamara do Banco Mundial e Maurice Strong, o organizador ambiental internacional da família Rockefeller, que, enquanto administrador da Fundação Rockefeller, organizou a Cimeira da Terra das Nações Unidas em Estocolmo, em 1972.

Há muitas décadas a fundação preocupava-se em por a ciência ao serviço da eugenia, uma versão repugnante da pureza racial, a que fora dado o nome de 'O Projecto'. Para garantir o maior impacto, o CGIAR atraiu a Organização para a Agricultura e Alimentação e o Programa para o Desenvolvimento, ambas das Nações Unidas, e o Banco Mundial. E assim, mediante uma distribuição cuidadosamente planeada dos seus financiamentos iniciais, no início dos anos 70 a Fundação Rockefeller já estava em posição de delinear a política da agricultura global no início dos anos 70. E de fato delineou-a. Financiado por generosas doações para estudos das Fundações Rockefeller e Ford, o CGIAR providenciou para que os principais cientistas da agricultura e agrônomos do Terceiro Mundo passassem a 'dominar' os conceitos do moderno agribusiness de modo a poderem levá-los para os seus países. Neste processo criou uma valiosa rede de influências para a promoção do agribusiness americano nesses países, muito em especial para a promoção da 'Revolução Genética' OGM nos países em desenvolvimento, tudo isto em nome da ciência e da eficácia, do mercado livre e da agricultura. Continua...


INTEL IRÁ USAR NANOTUBOS NOS CHIPS


A fabricante de microprocessadores Intel acaba de registrar um pedido de patente para utilizar nanotubos de carbono em seus chips. Ao invés de substituir os fios de cobre, trocando-os por nanotubos de carbono, a empresa planeja fazê-los funcionar em conjunto.

Condutibilidade térmica

Os nanotubos de carbono são minúsculas estruturas circulares feitas apenas de átomos de carbono. São como canos, cujas paredes têm apenas um átomo de espessura. Além de extremamente fortes e resistentes, os nanotubos de carbono possuem excepcionais propriedades elétricas e eletrônicas. Mas domá-los não tem sido fácil e sua utilização prática tem caminhado a passos lentos. Agora a Intel planeja reforçar os finíssimos fios de cobre que unem os milhões de transistores existentes no interior dos chips. A idéia é aproveitar a propriedade de condutibilidade térmica dos nanotubos para dissipar melhor o calor e evitar danos aos fios de cobre. Depositar os nanotubos de carbono sobre camadas de material isolante ao lado das trilhas de cobre deverá fazer com que a tensão térmica causada pelos pulsos de corrente elétrica seja diminuída, aumentando a vida útil das interconexões e dando maior durabilidade aos microprocessadores.

Fonte:
http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=010110070619

VESTÍGIOS DE ÀGUA FORA DO NOSSO SISTEMA



Água pode ser comum no universo, sugere descobertada France Presse, em Washington

Cientistas americanos descobriram vestígios de água na atmosfera de um exoplaneta, termo usado para definir um planeta situado fora do nosso Sistema Solar, o que sugere que a água atmosférica pode ser relativamente comum no universo.

Travis Barman, astrônomo do Lowell Observatory em Flagstaff, Arizona, e Heather Knutson, estudante da Universidade Harvard, analisaram dados e medições feitas com o telescópio espacial Hubble e aplicaram novos modelos teóricos para demonstrar a probabilidade de absorção de água na atmosfera do planeta HD209458b. O planeta está a 150 anos-luz da Terra, na constelação de Pégaso. Um ano-luz é a distância que a luz percorre no vácuo em um ano e equivale a 9,454 trilhões de quilômetros.

Os cientistas anteciparam durante anos que os chamados exoplanetas mostrariam indícios de água na atmosfera, inclusive aqueles que orbitam mais perto de sua estrela central do que Mercúrio com relação ao sol.

Mas, segundo os astrônomos, esta proximidade dificultou a detecção de água. O HD209458b foi o primeiro exoplaneta em trânsito já descoberto, ou seja, o primeiro a passar diante de um corpo muito maior, da posição vantajosa da Terra. Também é o primeiro exoplaneta conhecido a ter atmosfera.

O pequeno planeta orbita sua estrela a cada três dias e meio e, a cada vez que passa, os cientistas podem calcular o que há em sua atmosfera e como absorve a luz da estrela. Knutson se baseou na informação sobre o HD209458b tomada pelo telescópio Hubble e aplicou o novo modelo teórico de Barman, o que resultou na identificação de absorção da água na atmosfera do planeta.

"É animador que as previsões teóricas de água em planetas fora do sistema solar pareçam bater razoavelmente bem com as observações", disse Barman em um comunicado divulgado no site do observatório. "Sabemos agora que existe vapor d'água na atmosfera de um exoplaneta, o que nos permite pensar que outros exoplanetas contêm igualmente vapor d'água em sua atmosfera", acrescentou.

A pesquisa teve o apoio do programa Origens do Sistema Solar, da agência espacial americana Nasa e espera-se que seja publicada no jornal "Astrophysical Journal".Fonte:

CIVILIZAÇÕES ADIANTADAS EM PASSADO REMOTO

• Construção por civilização desconhecida (Atlantes?) da Esfinge de Gizé e as pirâmides no Egito, desenterrada há 3.600 anos das areias do Saara. Não se tem idéia de data e método de construção.

• Enormes campos de pouso nos Andes peruanos com desenhos quilométricos sobre as rochas planas, perceptíveis somente a grandes alturas no espaço.

• Vários achados antiqüíssimos de objetos que hoje seriam impossíveis de serem construídos, entre eles os enigmáticos crânios de cristal em tamanho similar ao crânio humano, extremamente perfeitos encontrados em sítios arqueológicos na América Central.

• Objetos tecnológicos achados em sedimentos minerais de milhões de anos.

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS


Aceleração espantosa no degelo das geleiras, nos pólos e nas altas cadeias de montanhas, resultando em mudanças climáticas regionais e elevação no nível dos mares. Os trilhões de litros de água doce escoando nos mares, reduz o nível de sal nos oceanos afetando toda a vida marinha e alterando as correntes marítimas.

• Elevado índice de poluição nos rios, lagos e fontes. Centenas de mananciais poluídos de tal forma que suas águas são impróprias para consumo humano.
• Substancial redução de pescados. Os cardumes cada dia mais reduzidos procuram áreas profundas ou distantes da costa dificultando a captura.

• Efeito estufa – aquecimento global ocasionando desertificação de áreas férteis. Enchentes em lugares antes secos. Secas nunca vistas, em regiões de mananciais abundantes, como por exemplo, a grande seca ocorrida recentemente na região amazônica e pantanal mato-grossense.

• Aumento significativo de fenômenos naturais de grande poder de destruição, como tufões, ciclones e furacões.

• O grande maremoto asiático na região da Indonésia que resultou no "Tsunami" que matou 300.000 pessoas, elevou em dezenas de metros a crosta sob o mar. Causou alterações até no eixo da terra.

• A camada de ozônio, proteção natural contra raios nocivos, apresenta grandes buracos no escudo atmosférico do planeta.

• A super-população precisando cada vez de mais espaço, alimento, moradia, água, energia, etc. reduz progressivamente áreas cobertas por vegetação, devastando flora e fauna.

• Redução contínua e acelerada no campo magnético da terra, podendo chegar ao "ponto zero" ou próximo a ele por volta de 2012. Isto significa que a terra poderá parar de girar por alguns dias, iniciando a seguir o movimento de rotação em sentido contrário. Os pólos seriam invertidos e o sol passaria a nascer no Oeste pondo-se no Leste.




INVERSÃO DOS PÓLOS DA TERRA



Profecias ancestrais e diversas tradições indígenas anteviram este fenômeno. Mas agora, para surpresa de muita, muita gente, é a própria ciência que começa a reconhecer importantes mudanças no campo magnético e nas freqüências vibratórias da Terra. O ápice do processo, que, segundo alguns especialistas, deverá ocorrer em alguns anos provavelmente provocará a inversão do sentido da rotação do nosso planeta e também a inversão dos pólos magnéticos. Este texto é baseado nas informações que enfoca o trabalho do geólogo norte-americano Greg Braden, maior estudioso do fenômeno. Braden trabalha a partir da interface ciência-esoterismo e é autor do livro Awakening to Zero Point (Despertando para o Ponto Zero) e de um vídeo de quatro horas sobre o fenômeno e suas possíveis conseqüências para a humanidade.

Greg Braden está constantemente viajando pelos Estados Unidos e marcando presença na mídia demonstrando com provas científicas que a Terra estará passando pelo Cinturão de Fótons e que há uma desaceleração na rotação do planeta. Ao mesmo tempo, ocorre um aumento na freqüência ressonante da Terra (a chamada Ressonância Schumann; sobre este tema da Ressonância, leia mais ao final deste artigo). Quando a Terra diminuir ao máximo a sua rotação e a freqüência ressonante alcançar o índice de 13 hz, estaremos no que Braden chama de Ponto Zero do campo magnético. A Terra ficará como se estivesse parada e, após dois ou três dias, recomeçará a girar só que na direção oposta. Isso poderá produzir uma total reversão nos campos magnéticos terrestres.

Freqüência da Terra

A freqüência de base da Terra, ou “pulsação” (a Ressonância Schumann), está aumentando drasticamente. Embora varie entre regiões geográficas, durante décadas a média foi de 7 a 8 ciclos por segundo. Essa medida já foi considerada uma constante. Comunicações globais militares foram desenvolvidas a partir do valor dessa freqüência. Recentes relatórios estabeleceram a taxa num índice superior a 11 ciclos. A ciência não sabe por que isso acontece - nem o que fazer com tal situação. Greg Braden encontrou dados coletados por pesquisadores noruegueses e russos sobre o assunto - que, por sinal, não é amplamente tratado nos Estados Unidos. A única referência à Ressonância Shumann (RS) encontrada na Biblioteca de Seattle está relacionada à meteorologia: a ciência reconhece a RS como um sensível indicador de variações de temperatura e condições amplas de clima. Braden acredita que a RS flutuante pode ser fator importante no desencadeamento das severas tempestades e enchentes dos últimos anos.

Campo magnético decrescente

Enquanto a taxa de “pulsação” está crescendo, seu campo de força magnético está declinando. De acordo com professor Banerjee, da Universidade do Novo México (EUA), o campo reduziu sua intensidade à metade, nos últimos 4 mil anos. Como um dos fenômenos que costuma preceder a inversão do magnetismo polar é a redução desse campo de força, ele acredita que outra inversão deve estar acontecendo. Braden afirma, em função disso, que os registros geológicos da Terra que indicam inversões magnéticas também assinalam mudanças cíclicas ocorridas anteriormente. E, considerando a enorme escala de tempo representada por todo o processo, devem ter ocorrido muito poucas dessas mudanças ao longo da história do planeta.
Impacto sobre o planeta Greg Braden costuma afirmar que essas informações não devem ser usadas com o objetivo de amedrontar as pessoas. Ele acredita que devemos estar preparados para as mudanças planetárias, que irão introduzir uma Nova Era de Luz para o planeta: a nova humanidade viverá além do dinheiro e do tempo, com os conceitos baseados no medo e no egoísmo sendo totalmente dissolvidos. Braden lembra que o Ponto Zero ou a Mudança das Eras vem sendo predito por povos ancestrais há milhares de anos. Têm acontecido ao longo da história do planeta muitas transformações geológicas importantes, incluindo aquelas que ocorrem a cada 13 mil anos, precisamente na metade dos 26 mil anos de Precessão dos Equinócios. O Ponto Zero ou uma alteração dos pólos magnéticos provavelmente acontecerá logo, acredita Braden. Poderia possivelmente sincronizar-se com o biorritmo de 4 ciclos da Terra, que ocorre a cada 20 anos, sempre no dia 12 de agosto. A última ocorrência foi em 2003. Afirma-se que depois do Ponto Zero o sol nascerá no oeste e se porá no leste. Ocorrências passadas, desse mesmo tipo de mudança, foram encontradas em registros ancestrais.

SINAIS DE CATACLISMOS NA TERRA

Cidade submersa descoberta no Mediterrâneo no Egito próximo á Alexandria.

• Cidade submersa recentemente encontrada no Mediterrâneo na costa de GAZA – Palestina.

• Muralhas, colunas e estradas em pedras submersas no Oceânico Pacífico.

• Muralhas, terraços e construções em forma de pirâmides submersas no Oceano Atlântico, onde presumivelmente localiza-se a Atlântida. Trechos de uma muralha estendem-se da costa do México adentrando no mar por quilômetros.

• As grandes reservas de petróleo em todo o globo: Material orgânico resultado de grandes cataclismos que há milhões de anos tragaram florestas e seres vivos sepultando-os em grandes profundidades.

• As eras glaciais e o desaparecimento dos grandes répteis sobre a terra.

• Os mamutes encontrados nas geleiras próximo á Sibéria, tão preservados que em alguns casos ainda foi possível constatar capim em seus estômagos. Indícios de que o resfriamento ocorreu de forma repentina.

• Presença de conchas e segmentos marinhos em planaltos de vários continentes em especial sobre montanhas do Tibet, provando que estas áreas elevadas já estiveram sob o fundo do mar e ainda comprovação do dilúvio universal.




VOCÊ DEVERIA SABER...


Com relação à Bíblia o que eu posso dizer é que já está na hora de deixarmos de ser tão ingênuos. Em antiguidade ela não supera OS VEDAS indiano, no que se refere as suas verdades, o Gênesis deve grande do seu conteúdo, relativo á criação mundo e outros, aos mitos sumerianos com os quais os hebreus tiveram contato por volta do ano 600 na Babilônia.

Se já no ano 250 a. C., a maioria dos judeus no Egito não conheciam a sua própria língua, o que fez Ptolomeu Lagos encomendar uma Bíblia hebraica na língua grega, Septuaginta é como é chamada esta versão, imagine querer discutir terminologias hebraicas dos chamados originais hoje, o literalismo destruiu o seu verdadeiro sentido. A Bíblia portuguesa vem da versão latina escrita em latim vulgar, vejam, VULGAR, o que tornou o texto ainda mais deformado.

Todos os seus ensinos éticos e morais aparecem no Zend-Avesta (livro persa), escrito por Zoroastro. As leis de Moisés foram inspiradas no código de Hamurábi e no código indiano de Manu. A visão monoteísta Moisés absorveu de Amenófis IV (Akenaton).

O Cristianismo por sua vez se desenvolveu a partir dos mistérios dos cultos ao sol da antiguidade, os mistérios de Mitra (deus sol persa), foram introduzidos na religião cristã por Constantino (mitra papal, mitra diocesana etc), o santíssimo sacramento tem a forma do SOL. Lembrem, a religião mais antiga do mundo é baseada na astroteologia, onde o sol é DEUS e aqueles considerados mensageiros divinos são Filhos do Sol (Krishna, Cristo, Ramsés etc), por isto na língua inglesa SON e SUN são tão similares, FILHOS DE DEUS eram FILHOS DO SOL.

"

MENSAGEM AOS QUE BUSCAM

Depois de 20 anos de pesquisas nas mais célebres obras do mundo em todos os tempos, como os Vedas indiano; as obras de Lao Tse e Confúcio; a Bíblia; o Zend-Awesta dos persas; a Doutrina Secreta de Blavatsky; o Corpus Hermeticum atribuído á Hermes Trismegistus; as obras de Kardec; o Corão de Mohamed; os pensamentos de Pitágoras, Sócrates, Platão e Aristóteles; os principais escritos sobre alquimia da idade-média como os deixados por Paracelso, Nicholas Flammel etc.; eis algumas lições que eu aprendi:

A mensagem divina é uma só em todos os tempos e para todos os povos. Símbolos, rituais e doutrinas são conseqüências da ignorância dos homens.

As descobertas da ciência apenas destroem as idéias errôneas que os homens fazem acerca do Criador.

Assim como o universo é o produto do pensamento do seu Criador que está sempre a vivificá-lo e organizá-lo, também o corpo humano é a expressão da alma que o envolve.

O número de religiões que existem é igual aos diferentes níveis de consciência que distinguem os homens.

Carregamos em nós mesmos um amigo que desconhecemos. O Espírito Supremo reside no íntimo de todo ser, cabe a cada um de nós acioná-lo.

Encontrar o elo entre o finito e o infinito, entre o homem e o universo, o tempo e a eternidade, estes são os anseios da alma humana.

A nossa existência de dias e noites, de vigília, sono e sonhos; pode ser vista como um modelo da nossa vida infinita.

O telescópio revelou estrelas e sistemas solares em número tal, que a mente do homem não consegue dimensionar.

A geologia falou em termos de milhões de anos, quando os homens, antes dela, haviam pensado em termos de milhares;

A física descobriu um universo no átomo e a biologia encontrou um microcosmo na célula.

A fisiologia descobriu um mistério inesgotável em cada órgão e a psicanálise um enigma em cada sonho.

A antropologia esta ainda tentando reconstruir a antiguidade do homem e a arqueologia já desenterrou cidades e povos sobre os quais nada se sabe.

A história oculta vem demonstrando que a nossa história oficial é falsa. Quantos crânios humanos de espécies humanas diferentes têm sido achados. Artefatos impressionantes achados em sedimentos minerais de milhões de anos assustam a arqueologia.

A teologia desmoronou e as ideologias políticas fracassaram.

Tantas terminologias técnicas foram criadas para descrever a vida e o universo, que está cada vez mais difícil os seres comuns compreenderem o mundo.

Entre as teorias e as respostas da ciência moderna podemos dizer que sabemos muito pouco ou quase nada sobre as nossas próprias origens na Terra.


"Desacreditar da ciência e negar a veracidade do método científico é desistir do seu emprego de ser humano. Você deveria procurar trabalho como uma planta ou um animal selvagem." - P. J. O'Rourke

INCONSISTÊNCIAS DA BÍBLIA - PARTE I

UM DEUS AMOROSO SE EXPRESSARIA ASSIM?

“Ao ver isto o Senhor se irritou, provocado á ira pelos seus filhos e suas filhas, e disse: Esconderei deles o meu rosto e verei qual será o seu fim; pois são uma geração perversa, filhos sem lealdade...com seus ídolos me provocaram á ira...também os provocarei. Pois um fogo se acendeu na minha ira e arderá até o mais profundo do inferno. Males amontoarei sobre eles e as minhas setas esgotarei contra eles. Consumidos serão pela fome e devorados pela febre e peste violenta; enviarei contra eles o dente das feras e o veneno ardente das serpentes que se arrastam no pó. Por fora devastará a espada e por dentro com pavor, tanto ao jovem como a virgem, assim a criança de peito como o homem grisalho.” (Dt 32: 19-25;)

“Os que o acharam apanhando lenha o trouxeram a Moisés e a Arão e a toda congregação. Então disse o Senhor a Moisés: Tal homem será morto; toda a congregação o apedrejará fora do arraial...e ele morreu como o Senhor ordenara a Moisés”. (Nm 15:33,35-36b;)

“Vai, pois, agora e fere a Amaleque e destrói totalmente a tudo que tiver; nada lhe poupes, porém matarás homem e mulher, meninos e crianças de peito, bois e ovelhas, camelos e jumentos.” (I Sm 15:3;)

SE O DEUS HEBREU FOI QUEM DISSE O QUE VOCÊ ACABOU DE LER, NÃO SE ESPANTE COM O QUE FIZERAM SEUS SERVOS:

“Disse Samuel: Assim como tua espada desfilhou mulheres, assim desfilhada ficará tua mãe entre as mulheres. E Samuel despedaçou a Agague perante o Senhor em Gilgal”. (I Sm 15:33;)

“Agora pois, matai de entre as crianças todas as do sexo masculino; e matai toda a mulher que coabitou com algum homem, deitando-se com ele. Porém todas as jovens que não coabitaram com algum homem, deitando-se com ele, deixai-as viver para vós”. (Nm 31: 17-18;)

A ­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­SERPENTE NA BÍBLIA

IMAGEM NEGATIVA
“Disse, pois o Senhor Deus á serpente: Porque fizeste isto, maldita és...” (Gn 3:14;)

“Despedaçou a serpente de bronze que Moisés fizera, pois até aquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso...” (II Reis 18:4;)

“...a antiga serpente que se chama diabo e Satanás, que engana todo mundo.” (Ap 12:9;)

IMAGEM POSITIVA

“Portanto sede prudentes como as serpentes...” (Mt 10:16;)
“Disse o Senhor a Moisés: Faze uma serpente de bronze e põe-na sobre uma haste.Todo aquele que for mordido e olhar para ela viverá.” (Nm 21:8;)

Como você deve ter analisado, alguns versos bíblicos a apresentam como um símbolo negativo, é amaldiçoada e até apontada como ícone do príncipe da trevas. Mas em outros, como no episódio do livro de Números, o Deus bíblico envia serpentes para picar o povo mas depois orienta Moisés a confeccionar uma de bronze e usá-la como amuleto mágico, o qual seria capaz de produzir cura aos que para ela olhassem. Encontramos aí o próprio Deus bíblico ensinando ao seu servo uma simpatia, prática tão contestada pelos cristãos hoje em dia.

Mas no livro de II reis aquela serpente de bronze feita por Moisés é destruída pelo rei Ezequias com se fosse um símbolo do mal. O texto também diz que ele está fazendo algo que reto aos olhos de Deus. A pergunta final é: Teria sido o Todo-Poderoso responsável por todas estas contradições?

ESTRELA DA MANHÃ: QUEM PRIMEIRO RECEBEU ESTE TÍTULO?

“Como caíste do céu, ó estrela da manhã...” (Is 14:12;)

Segundo a teologia cristã a afirmação acima, feita pelo profeta Isaías, refere-se ao querubim caído, Satanás e Príncipe das trevas. Estrela da manhã é a tradução para o português das palavras latinas lux-spheros (Lúcifer), literalmente, esfera de luz; expressão com a qual os romanos identificavam o planeta Vênus.

No Apocalipse, quem se apresenta com este título é o próprio Jesus, “Eu, Jesus...a resplandecente estrela da manhã”.(Ap 22:16;) A pergunta é obvia. Se a palavra é primeiro aplicada ao querubim que foi expulso das hostes celestiais e só mais tarde aplicada á Jesus, isto significa que este título não pertencia á Ele originalmente, certo? Não! Então me encontre a resposta.

VOTO A DEUS OU AO DIABO?

“E Jefté fez um voto ao Senhor: Se totalmente entregares os filhos de Amon nas minhas mãos, qualquer que, saindo da porta da minha casa, me vier ao encontro, voltando eu vitorioso dos filhos de Amon, esse será do Senhor e o oferecerei em holocausto...Vindo Jefté á Mispa, á sua casa, a sua filha lhe saiu ao encontro com adufes e com danças. Era filha única. Não tinha ele nem outro filho nem filha. Quando a viu rasgou as suas vestes e disse: Ah! Minha filha! Muito me abatestes, és a causa da minha calamidade, porque fiz voto ao Senhor e não voltarei atrás. Respondeu ela: Pai meu, fizeste voto ao Senhor. Faze de mim segundo o teu voto, agora que o Senhor te vingou dos teus inimigos, os filhos de Amon. Concede-me este único pedido: deixa-me por dois meses que vá e desça pelos montes e chore a minha virgindade eu e as minhas companheiras. Ao fim de dois meses, ela voltou a seu pai, o qual cumpriu nela o voto que tinha feito.” (Jz 11:30-40;)

AS PASSAGENS ABAIXO NÃO SÃO CONTRÁRIAS A TEOLOGIA CRISTÃ?

“Porque o que acontece aos filhos dos homens, isso mesmo também acontece aos animais; a mesma coisa lhes acontece. Como morre um, assim morre o outro. Todos têm o mesmo fôlego e nenhuma vantagem têm os homens sobre os animais...Quem sabe se o espírito do homem vai para cima e se o espírito dos animais desce para a terra?...pois quem o fará voltar para ver o que será depois dele?” (Ec 3:19,20,22c;)

“Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma; não têm jamais recompensa, mas a sua memória ficou entregue ao esquecimento”. (Ec 9:5;)



RAIOX DA BÍBLIA by W.X.

PASSADO MISTERIOSO


Os historiadores nunca ousaram explicar a razão pela qual os incas, astecas, maias, fenícios e os assírios-babilônicos tinham deuses que representavam o planeta Venus e tripulavam máquinas voadoras. O próprio Jesus no Apocalipse promete para aquele que lhe for fiel até o fim a “estrela da manhã” (planeta Vênus), ele próprio é apresentado como a resplandecente “estrela da manhã”. Erros flagrantes falsearam a história das civilizações, todavia o vinho esta servido e as massas já se embriagaram com as fantasias.

Muitos arqueólogos do nosso tem pó precisam rever quase tudo que foi estabelecido como verdade absoluta sobre os vestígios dos nossos ancestrais. Os geoglifos da planície de Nazca no Peru; os menires, dolmens e petroglifos na Inglaterra, Irlanda e na França, trazem indícios de um passado enigmático da humanidade. Na região da Sabóia, perto de Lanslevillard, abriga um enorme bloco que apresenta pegadas humanas moldadas na rocha de um tempo incalculável, mas sinais deste tipo encontram-se na Yugoslávia, Espanha, Escandinávia e Romênia.

Na costa da Florida um grande enigma permanece. O professor Manson Valentim descobriu em 1971, os restos de um templo, mesas talhadas, talhadas, colunas; uma pirâmide de dimensões de dimensões ainda desconhecida também repousa com os restos de uma cultura que os oceanos tragaram. O geólogo russo N. Zirov, segundo a enciclopédia O MAR (No 16/Abr-72) retirou da costa da Ilha de Bimini uma tonelada de discos calcários de 145 cm de diâmetros 4 cm de espessura, polidos de um lado só. Estes discos, segundo alguns estudiosos do insólito, há milhares de anos jaziam sob as águas.

Muito antes de Colombo e Cabral se falava até no Oriente de uma região chamada Brazil. Braazi (brasa) é uma referência a cor avermelhada da madeira, cujas propriedades para tingimento eram plenamente conhecidas pelos nativos e dela suas terras eram abundantes. Braazi entre os celtas significa vermelho. Historiadores da pré-história são pessoas muito sérias, mas em suas teses pouco mencionam sobre o mundo antes da última grande catástrofe, popularmente conhecida como dilúvio, que devastou a Terra há 12.000 mil anos.

Os homens antediluvianos da Atlântida, possuíam grandes conhecimentos científicos ainda ignorados pela ciência oficial. Por repetidas vezes ao longo de milhares de anos a nossa raça teve que recomeçar do zero, quantos povos desenvolveram técnicas diferenciadas das nossas, mas tão eficientes quanto. Até onde nossas pesquisas alcançam, e não é muito longe, já que as mais relevantes obras escritas (rolos, pergaminho, papiros, placas de barro) desapareceram com a biblioteca de Alexandria. Podemos afirmar que seres humanos inteligentes não saíram das cavernas apenas há 150 mil anos, mas provavelmente há um milhão de anos.

Livro História Oculta by W.X.

CONTRADIÇÕES BÍBLICAS

1- Devemos guardar o sábado?

Ex. 20:8; “Lembrem do dia do sábado para consagrá-lo”. (Ex. 31:15; Nm 15:32,36).
Is 1:13; “As luas novas e sábados, o ajuntamento das assembléias, não posso suportar, é iniqüidade”. (Jo 5:16; Mt. 12:1-5;)


2- Deus é bom para todos ou só para alguns escolhidos?
SL 145:9; O Senhor é bom para todos; tem compaixão de todas as suas obras.
Jr 13:14; Fá-los-ei em pedaços, atirando uns contra os outros, tanto os pais como os filhos, diz o Senhor. Não perdoarei nem pouparei, nem terei compaixão deles, para que os destrua.

3- Deus é um Deus de paz ou é um deus guerreiro?

Ex 15:3; O Senhor é um guerreiro;
Rm 15:33; Agora o Deus de paz esteja com todos vós, amém.

5- Quem foi o pai de José?

Mt 1:16; E Jacó gerou a José o marido de Maria, de quem nasceu Jesus, que é chamado Cristo.

Lc 3:23; E Jesus era da idade de trinta anos, sendo (como se pensava) o filho de José, que era filho de Heli.

6- Maria madalena foi só ou acompanhada ao sepulcro?

Jo 20:1; No primeiro dia da semana cedo, sendo ainda escuro, Maria Madalena foi ao sepulcro e viu que a pedra fora revolvida da entrada.

Mt 28:1; Depois do sábado, ao raiar do primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro.

Mc 16:1; Passado o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e Salomé compraram aromas para irem ungir o corpo de Jesus.

7- Jesus é igual ou menor que o pai?

Jo 10:30; Eu e meu Pai somos um.
Jo 14:28; Ouvistes que eu vos disse: vou e voltarei para vós. Se me amásseis, alegrar-vos-íeis porque eu vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu.

8- Quem foi criado primeiro: o homem ou animais?

Gn 1:25; E Deus fez os animais selvagens conforme a sua espécie e toda a criatura que rasteja sobre a Terra segundo a sua espécie: e Deus viu que era bom.

Gn 1:26; E disse Deus: Façamos o homem á nossa imagem, conforme a nossa semelhança, domine ele sobre os peixes do mar…

Gn 2:7; Formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida, e o homem tornou-se alma vivente.

Gn 2:19; Havendo, pois, o Senhor Deus formado da Terra todos os animais do campo e todas as aves do céu, trouxe-os ao homem.

9- Animais limpos e não limpos, houve restrições para entrarem na arca?
Gn 7:2; De todos os animais limpos levarás contigo sete e sete, o macho e sua fêmea; mas dos animais que não são limpos, dois, o macho e sua fêmea.

Gn 7:8,9; Dos animais limpos e dos animais que não são limpos e das aves e todo o réptil sobre a terra, entraram de dois em dois para Noé na arca, macho e fêmea, como Deus ordenara a Noé.

10- Afinal, é bom ou ruim possuir sabedoria?

Pv 4:7; A sabedoria é suprema; portanto, adquire a sabedoria. Sim, com tudo o que possuis adquire o entendimento.

Ec 1:18; Pois na sabedoria há muito enfado; o que aumenta o conhecimento aumenta a tristeza.

I Co 1:19; Pois está escrito: destruirei a sabedoria dos sábios; e aniquilarei a inteligência dos prudentes.

11- Jesus: descendência de Davi ou do Espírito Santo?

At 2:30; Mas ele era profeta (Davi), e sabia que Deus lhe havia prometido com juramento que do fruto dos seus lombos, segundo a carne, levantaria o Cristo para assentar sobre o seu trono.

Mt 1:18; Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes que coabitassem, achou-se grávida pelo Espírito Santo.

Nota: “Se Maria foi engravidada de forma sobrenatural, Jesus não é descendência de Davi. Mateus e Lucas colocam em seus livros uma genealogia para provar a ligação sanguínea de Jesus com Davi, isto quer dizer que acreditavam que José era o seu verdadeiro pai e não o Espírito Santo. O autor do livro de Atos registra que Davi acreditava que o Cristo, em cujo trono se assentaria, seria levantado por Deus seria do seu sangue ”.

12. Filhos punidos pelos pecados dos pais?

Is 14:21 Preparai a matança para os filhos por causa da maldade de seus pais, para que não se Levantem e possuam a terra, e encham o mundo de cidades.
Dt 24:16; Os pais não serão mortos pelos pecados dos filhos, nem os filhos serão mortos pelos pecados dos pais; cada homem será morto pelo seu próprio pecado.

13. Coelhos e lebres não ruminam e têm unhas fendidas, mas o que diz o texto?
Lv 11:5,6; O Coelho, que rumina, mas não tem unhas fendidas, este vos será imundo. A lebre, que rumina, mas não tem as unhas fendidas, esta vos será imunda.

14. Quem comprou o campo do oleiro: Judas ou os sacerdotes?

At 1:18; Ora, este (Judas) adquiriu um campo com a recompensa da iniqüidade…

Mt. 27:5-7; Então ele (Judas) atirando para o templo as moedas de prata, retirou-se e foi se enforcar. E os príncipes e sacerdotes, tomando as moedas de prata...depois de deliberarem, compraram com elas o campo do oleiro.

15. O sermão das bem-aventuranças foi dado em lugar plano ou num monte?

Mt.5:1,2; Vendo Jesus as multidões, subiu a um monte e assentou-se Aproximaram-se dele os seus discípulos, e ele começou a ensiná-los, dizendo:

Lc 6:17,20; Descendo com eles, parou num lugar plano, onde se encontrava grande número de discípulos seus e grande multidão...Levantando ele os olhos para os discípulos disse:

16. Quais foram de fato as últimas palavras de Jesus na cruz?

Jo 19:30; Quando Jesus recebeu o vinagre, disse: Está consumado! E inclinando a cabeça, entregou o espírito.

Mt 27: 46; Por volta da hora nona exclamou Jesus em alta voz; Eli, Eli, Lamá sabactani, que quer dizer: Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste?

Lc 23:46; Jesus clamou com grande voz: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. Havendo dito isto, expirou.

17. Anos de fome sobre Israel: sete ou três?

II Sm 24:13; Assim veio Gade a Davi e lhe disse: Queres que sete anos de fome te venham a tua terra? Ou que por três meses fujas diante de teus inimigos e eles te persigam?

I Cr 21:11; Gade veio a Davi e lhe disse: assim diz o Senhor: faze a tua escolha: ou três anos de fome ou que por três meses sejas consumido diante de teus adversários e a espada de teus inimigos te alcance...
18. Deus pode ser visto?

Deus pode ser visto:

Ex 24:9,10; Subiram Moisés e Arão, Nadabe e Abiu, e setenta dos anciãos de Israel, e viram o Deus de Israel. Debaixo dos seus pés havia como que uma calçada de pedra de safira que se parecia com o céu de sua claridade.
Gn 26:2; Apareceu-lhe o Senhor e disse:
Amós 9:1; Vi o Senhor em pé junto ao altar e ele me disse...
Ex 33:11; Falava o Senhor face a face, como qualquer fala com seu amigo.
Ex 33:23; Depois, quando eu tirar a mão, me verá pelas costas, mas a minha face não se verá.
Gn 32:30; Vi a Deus face a face e a minha vida foi poupada.

Deus não pode ser visto:

Jo 1:18; Ninguém nunca viu a Deus…

Ex 33:20; E Ele disse, tu não podes ver a minha face;
pois nenhum homem pode ver a minha face e viver.

1 Tm 6:16; A quem nenhum dos homens viu e pode ver…

19. Deus tenta seus filhos?

Gn 22:1; Depois destas coisas, tentou Deus a Abraão…
Tg 1:13; Nenhum homem diga quando tentado, sou tentado por Deus; pois Deus não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta.
NOTA: Como sustenta a Bíblia na versão King James Inglesa de 1611– “And it came to pass after these things, that God did tempt Abraham” – “E aconteceu depois destas coisas que Deus tentou a Abraão”.

20. Elias subiu ao céu atmosférico ou ao céu espiritual?

II Rs 2:11; E Elias subiu ao céu num redemoinho.
Jo 3:13; Nenhum homem subiu ao céu a não ser aquele que do céu desceu – o filho do homem..

Extraído do livro RAIO X DA BÍBLIA

A ETIMOLOGIA CONTA A HISTÓRIA


Zeus, conhecido também como Zeus-Pater, de onde vem a expressão Deus-Pai toma o seu nome da versão indiana, Dyaus Pitar. Dyaus Pitar está relacionado por sua vez a divindade egípcia Ptah. Então Zeus, transformou-se em Dio no italiano, Dei no latim, Deus no português e Dios em espanhol. Dyaus Pitar transformou-se em Júpiter na mitologia romana. Na mitologia egípcia, Ptah, o Pai, é o deus-força, e o sol era visto como o representante visível de Ptah que traz a vida eterna à terra.

Na verdade, o nome Cristo que tem suas raízes na palavra indiana Kris, que dizer sol. O nome Jesus é a forma grega de Yeshua, Josué no português. O nome Jesus tem origem do termo egípcio Iusa e Iesu um dos nomes de Hórus. Esus também era para os celtas o nome do símbolo que representava a luz e a perfeição. Segundo o Rev. Taylor, na obra Asian Research, o título Cristo em sua forma judaica significando ungido (Mashiah) era usado por todos os reis de Israel.

O nome "Jesus Cristo" não foi adotado formalmente em sua forma atual até após o primeiro concílio de Nicéia, isto é, em 325 E.C. Na realidade, mesmo os nomes de lugares e personagens no Novo Testamento podem ser associados á traduções judaicas dos textos egípcios. Por exemplo, Lázaro (Lazarus) que foi ressuscitado dentre os mortos por Jesus, vem de El-Azar-us que segundo as lendas egípcias foi a múmia egípcia ressuscitada dentre os mortos por Hórus possivelmente 1.000 anos ou mais antes da versão judaica.
O inimigo principal de Hórus era Set , donde vem o termo Satan - Satanás, que quer dizer inimigo no grego. Hórus luta com Set da mesma maneira que Jesus luta com Satan, passando 40 dias no deserto. Do mesmo modo, Betânia, local da multiplicação famosa dos pães vem de Bethanu que era a uma cidade egípcia. A palavra Israel própria, longe de ser uma palavra hebraica, vem provavelmente da combinação de três deuses: Isis, a mãe-deusa da terra reverenciada por todo o mundo antigo; Ra, o deus-sol egípcio; e EL, o primitivo deus semita e cananeu que era um dos nomes mais usados para deus pelos primitivos moradores da Palestina. Observe a influência deste nos seguintes nomes próprios: Emmanu-El, Micha-El, Gabri-El, Samu-El, etc. O deus indiano Brahma, pode ter sido a origem do nome Abraão (Ab-ramu).

MANIQUEÍSMO

Mani, o apóstolo da luz, nasceu no século III d.C., no ano 216, conforme os relatos persas. Mani descendia por parte da sua mãe, miriame, dos persas; sendo puro de raça e de linhagem, embora tenha nascido na Babilônia. Mani ainda jovem dedicou-se a meditação e aos estudos espirituais. Com 24 anos de idade teve a sua revelação e passou a se considerar herdeiro de Buda, Zoroastro e Jesus Cristo. De posse deste fascínio ele viajou a Índia para ter a iniciação e regressar ao Irã para pregar a sua doutrina.

Mani escreveu vários livros, embora alguns tenham sido destruídos e também inventou uma escrita para que os seus livros não caíssem nas mãos dos profanos e desfigurassem sua doutrina. Sendo um líder espiritual tinha a proteção do rei Shapur I. Porém, este rei morre e o poder passa as mãos de uma dinastia que odiava os maniqueístas. Mani e preso e mantido em cárcere. O profeta morre no dia 26 de fevereiro de 277, aos 51 anos de idade, após sofrer vários dias de lenta agonia. A sua doutrina foi a mais perseguida da história, mas os seus ensinamentos se tornam mundiais após a sua morte. No Egito o maniqueísmo atinge as comunidades cristãs e as escolas de filosofia.

Depois se alastra pela Palestina e Roma. Propaga-se até a China e alcança trunfos naquele país. Se instala na África do norte, santo agostinho foi maniqueísta de 373 á 382) vai para a Ásia Menor (atual Turquia), Grécia, Inglaterra e Espanha. O princípio fundamental do maniqueísmo é que tudo tem um oposto: o bem e o mal. Este princípio também estava contido no budismo, entre os persas e os cristãos. Para ele esta luta seria eterna, o mundo foi criado pelo bom princípio e destruído pela mal principio. Como pode ser claramente observado o cristianismo traz no seu contexto doutrinário muitos elementos destas duas linhas de pensamento religioso.

Em alguns conceitos a evidência é tão clara que não me cabe fazer nenhum comentário, a não ser deixar ao caro leitor a interpretação, isto para que não digam que forcei as palavras. Uma pergunta fica no ar espirando resposta: “Se os chamados pagãos não tinham nenhuma verdade, como muitos teólogos dizem, por que o cristianismo importou tantos conceitos? ” A raça humana deve muito á povos como os babilônios, egípcios, fenícios e gregos. Devemos à eles a invenção dos calendários, da matemática, da geometria, da medicina, astronomia, alfabeto etc. O fato é que eles não estavam tão mergulhados nas trevas como há muito tempo temos ouvido em nossas igrejas, pois entre eles também o Criador depositou um pouco da sua incomensurável sabedoria.


MONOTEÍSMO

Amenófis IV (1353-1335) reformou a religiao egípcia e estabeleceu o monoteísmo, cuja divindade máxima era “Aton”, considerando-o como Deus único e universal. Ele adorava o sol como símbolo do poder do seu Deus. O dogma monoteísta que Moisés adotou era um ensino da irmandade criada por este faraó. Não é confiável atribuir a Moisés a criação de uma religião monoteísta. O orientalista Max Mueller afirma: “O Deus único recebeu vários nomes em diferentes culturas, os principais povos da antiguidade adoravam uma divindade que estava associada ao sol, isto por ser o sol no mundo físico o elemento que melhor representa a grandeza deste Deus”. Mitra (persas), Shamash (caldeus), Amon-Rá (egípcios).

Kris de onde se origina o nome Krishna quer dizer “sol” em sânscrito. O nome usado para Deus em português tem a seguinte origem: Diaus em sânscrito antigo (Índia), Zeus depois Theos no grego, Tiw em germânico, Dei em latim. “O politeísmo é o monoteísmo em dissolução”, afirma Schelling e complementa: “Os povos não iniciaram a sua crença pelo politeísmo”. No Gênesis Deus se revela á Abraão. Nos escritos indianos vemos Deus se revelando á Krishna. No Zend-avesta dos persas á Zoroastro. Nos Chings á Lao Tsé e Confúcio. No Êxodo á Moisés e no Corão para Mohamed.

ABRAÃO

Nasceu na cidade de Ur dos sumérios, isto explica a origem de grande parte do pensamento hebraico. Ele era portanto, sumério e não hebreu como muitos pensam.

MOISÉS

O maior historiador egípcio, Manetho (III séc. a.C.) escreveu:

“Moisés, da tribo de Levi, foi iniciado em Heliópolis e se tornou alto sacerdote da irmandade criada pelo faraó Amenófis IV (Akenaton), ele adaptou as idéias do seu povo á ciência e filosofia egípcia.”

A origem do seu nome pode estar ligada ao sufixo egípcio “mses”, que está presente nos nomes de alguns faraós: Kamósis (17ª dinastia), Amósis, Tutmósis (18ª dinastia), Ramsés (19ª– 20ª dinastias). Seu provável significado é “filho de”. A célebre história bíblica de Moisés e da cestinha é considerada um plágio da lenda do rei Sargão, o fundador da dinastia de Accad, em 2369 a.C. A semelhança é des-concertante, no texto bíblico lemos sobre Moisés:

“Mas, não podendo tê-lo escondido, tomou um cesto de junco e selou-o com betume e pez; e meteu dentro o menino e expô-lo num canavial junto da margem do rio”. (Gn 2:3;)

A lenda do rei Sargão também fala do seu nascimento em mesmas circunstâncias, segunda as placas de barro neo-babilônicas do primeiro milênio a.C., não confundir este com os da dinastia assíria que vieram depois dele. Os textos cuneiformes trazem a seguinte narração:

“Eu sou Sargão, o rei poderoso, rei de Akkad. Minha mãe era uma sacerdotisa de Emitu, meu pai eu não conheci. Minha mãe me concebeu, deu-me á luz em segredo; colocou-me numa cestinha de caniços, calafetou a tampa com betume e me colocou no rio. O rio me levou até Akki, o aguadeiro, que me adotou como filho e me criou”.
Werner Keller – E a Bíblia Tinha Razão - Pág. 134.

Uma lenda indiana também fala de Krishna sendo colocado por sua mãe em um barco de junco e abandonado em um rio e é descoberto por uma outra mulher. Além disso, há a presença de um personagem com nome semelhante à Moisés em muitas regiões no oriente antigo. Vem da Babilônia o termo Nemo, e o legislador. Mises é encontrado na Síria e no Egito. Na verdade grande parte do código de leis , que aparece como tendo sido revelados à Moisés, são simplesmente uma repetição do código babiloniano de Hamurabi e do código de Manu dos indianos. Como muitos dos personagens bíblicos, Noé é também um mito.

O termo demônio tem a sua origem em Daemon: dae (espírito) + Amon (deus sol egípcio), na Grécia antiga era a palavra empregada para “espíritos desencarnados” e até para anjo da guarda. Os hebreus se apropriaram dos contos dos sumérios sobre a inundação da terra, os quais chegaram até eles por influencia babilônica. Ester, personagem de um livro do Velho Testamento é inspirado no nome da deusa Ishtar, também conhecida por Astarte e Astoreth, do qual também vem o termo Easter, páscoa em Inglês. Há doze discípulos porque houve doze patriarcas, e o número doze aparece por causa dos doze signos astrológicos ou meses.

JUDEUS NA HISTÓRIA

Segundo o historiador Will Durant em seu livro “História da Civilização“, que quando os judeus entraram no palco da história não passavam de beduínos nômades. O culto do boi e carneiro estava vivo na memória deles. Moisés nunca conseguiu extirpar de sua gente a fé no bezerro de ouro porque a adoração do touro ainda estava fresca em sua memória. Adoravam a serpente como nos mostra o episódio em que Moisés provê uma de bronze para conceder ao povo um milagre. A adivinhação era obtida por meio de dados sagrados (Urim e Tumim) sacudidos numa caixa (ephod).
CÓDIGO DE LEIS
Cyro Moraes Em Seu Livro “Civilização Cristã” Diz: “Aquilo Que Conhecemos Como Lei Mosaica Não Passa De Uma Seleção De Velhas Coleções De Usos E Ritos Sociais Comuns Á Outros Povos Mais Civilizados. O Código De Hamurabi, Segundo A Lenda Babilônica, Foi Recebido Por Este Rei Das Mãos Do Deus Marduk , Cerca De 700 Anos Antes Da Lei De Moisés. O Escritor Van Loon Em Sua Obra “A Arte” 5 ª Edição, Nas Págs 63 E 64, Diz Que Muito Antes De Moisés Já Se Conhecia As Leis Das Dez Tábuas De Hamurabi Sem Os Acréscimos Infantis Deste Patriarca.

REFORMA DA RELIGIÃO HEBRAICA

A história religiosa de Israel teve um marco que determinou o seu desenvolvimento até a atualidade, refiro-me a reforma do rei Josias. Foi esta reforma que criou o judaísmo, unindo o conteúdo das profecias aos ritos e tradições da religião popular. O código de Josias seria o primeiro passo em direção á Torá que trouxe a idéia aos judeus e ao mundo que o Antigo Testamento era a “Palavra de Deus”, descrita de forma homogênea e definitiva.

Extraído do livro RAÍZES DO CRISTIANISMO by W.X..

O GÊNESIS REINTERPRETADO



Em 1849 o arqueólogo Henry Layard encontrou na antiga capital dos assírios Nínive, na colina de Kuiundjik, o palácio de Assurbanipal (884-859 a.C.), que abrigava uma biblioteca composta de milhares de volumes, os quais constituem a chave para a compreensão de toda a civilização assírio-babilônica. Seus volumes englobavam toda a sabedoria do seu tempo: Ocultismo – filosofia – astronomia – listas dos reis – relatos históricos – literatura poética – canções e hinos sagrados. Composta na sua maioria de cópias dos originais babilônicos muito mais antigos. Um tesouro de valor incalculável que, devidamente acondicionado, partiu para a longa viagem de Nínive á Inglaterra e ao Museu Britânico. O seu valor, porém, só foi revelado decênios mais tarde, quando se tornou possível decifrar os textos. Na época, não havia ninguém no mundo que soubesse lê-los. Malgrado todos os esforços, as tabuinhas permaneciam mudas. Pouco antes de 1900, nas sóbrias salas do Museu Britânico, os velhos textos começaram a narrar de novo, após uma pausa de dois mil e quinhentos anos, um dos mais belos poemas do antigo Oriente, a cantar pela primeira vez para os assiriólogos a epopéia de Gilgamesh, o rei de Uruk meio deus, meio homem.

Está escrito em acádico, a linguagem diplomática da época do rei Assurbanipal, esta placa é uma cópia daquela que se encontrava na biblioteca da Babilônia no tempo do grande rei Hamurabi. Na epopéia original, um clássico da literatura suméria, esculpido há 5 mil anos, lemos a história de Ziusudra, um herói que sobrevive a uma enorme enchente graças a sua devoção ao deus Enki. Esta Divindade teria decidido destruir a humanidade, mas poupado o seu eleito e o aconselhou a levar consigo as sementes de todos os seres vivos. Ziusudra esperou sete dias, até soltar uma andorinha, um pombo e um corvo para verificar se a água já havia baixado. Mil anos depois, esta lenda sumeriana ressurgiria em um mito da Babilônia, a epopéia de Gilgamesh, relato da vida de um rei sumério que governava a cidade de Uruk. Neste relato, idêntico ao anterior, o personagem Ziusudra reaparece como Utnapishtim, o deus Enki como Ea. Qualquer semelhança entre os relatos mesopotâmicos com o do Gênesis não é considerado mera coincidência pelos estudiosos.

A epopéia de Gilgamesh pertence aos tesouros culturais de todas as grandes nações do antigo Oriente. Sem dúvida a redação original desta narração, o mundo deve aos sumérios, cujo povo erigiu a primitiva Ur. Gilgamesh, diz a inscrição cuneiforme da tabuinha XI da Biblioteca de Nínive, está decidido a assegurar sua imortalidade e empreende uma longa e aventurosa viagem a fim de encontrar seu antepassado Utnapishti, do qual espera saber o mistério da imortalidade, que os deuses lhe conferiram. Chegando a ilha onde vive Utnapishti, Gilgamesh interroga-o sobre o mistério da vida e este conta-lhe que viva em Shuruppak e era um fiel adorador do deus Ea. Quando os deuses tomaram a resolução de exterminar a humanidade por meio de uma inundação, Ea avisou-lhe dando a seguinte ordem:

“Homem de Shuruppak: destrói tua casa e constrói um navio. Abandona as riquezas despreza os bens e salva a vida! Introduza toda sorte de semente de vida no navio que deves construir, as medidas devem ser bem tomadas”.

A fim de facilitar a comparação entre a narração bíblica com Noé e a de Gilgamesh com Utnapishti examine o Gênesis (capítulo 6 até 8:21;). Segue a narração babilônica:

“No quinto dia tracei sua forma., sua base media doze Iku (três mil e quinhentos metros quadrados).
Suas paredes mediam dez gar de altura cada uma (seis metros).
Dei-lhe seis andares. Joguei no forno seis sar (medida desconhecida) de breu.
Tudo que eu tinha carreguei e toda a sorte de semente de vida.
Coloquei no navio toda a minha família e parentela.
Toda cólera de Adad chega até o céu, toda a claridade se transforma em escuridão.
Seis dias e seis noites sopra o vento, o dilúvio, a tempestade do sul assola a Terra.
Quando chegou a sétimo dia, a tempestade do sul, o dilúvio, foi abatida.
O mar se acalma e fica imóvel, e toda a humanidade se transforma em lodo.
Abri o respiradouro e a luz caiu no meu rosto. O navio pousou no monte Nisir.
O monte Nisir prendeu o navio e não o deixou flutuar.’

Os babilônios, assírios, hititas e os egípcios, leram e contaram esta história uns aos outros. Extraído do livro RAIO X DA BÍBLIA

OS AUTORES DA BÍBLIA



Os livros que compõem a Bíblia, foram escolhidos após muitas discussões no concílio de Cartago no ano 397 a.C. Só na época de Lutero é que a lista de livros deutero-canônicos, que fazem parte da Bíblia católica, é que foram considerados inferiores ao demais pelos então protestantes.

A compilação da Torah (Pentateuco – cinco livros) é de aproximadamente do ano 1000 a. C. Nenhum manuscrito original existe na realidade, o que existe são cópias de uma suposta coleção original. Há centenas de acréscimos e alterações, algumas acidentais, outras propositais; feitas por um grande número de copistas. Muitos autores de livros bíblicos são desconhecidos, por mais que pareça absurdo falar isto, o fato é que muitos livros da bíblia são de autoria múltipla, como é o caso Gênesis. A narração do dilúvio por exemplo, não é um conto original hebraico, é uma adaptação de um conto sumeriano que chegou até os judeus pelos babilônios.. Continua...

Extraído do livro RAIO X DA BÍBLIA

QUEM EXPLICA...


Os sumérios, povo mais antigo da mesopotâmia, já conheciam e davam nome as mesmas constelações e planetas observados pela astronomia moderna. De onde veio este conhecimento?

A maioria dos povos antigos adoravam uma divindade solar. Os persas tinham Mitra; os caldeus – shamash; os egípcios – Amom-rá; os índios brasileiros, Tupã. Os Incas – Inti. Esta seria uma prova que no passado imemorial da humanidade os povos compartilhavam da idéia de um único Deus soberano no universo?

As similaridades entre a arquitetura, calendário e astronomia egípcia, tolteca e maia; os traços de nicotina e cocaína encontrados nas múmias egípcia são provas que indicam um contato entre os egípcios e pré-colombianos muito antes do que supunham os historiadores modernos. No lago Titicaca no Peru, o qual está a 3600 metros acima do nível do mar, é possível ainda hoje encontrarmos barcos de junco construídos da mesma forma que os antigos barcos egípcios. Quando se deu este contato?

Por que a maioria dos povos antigos afirmavam em suas lendas e escritos sagrados que o conhecimento que possuíam havia sido lhes dado por seres que vieram das estrelas.

O conhecimento sobre metalurgia dos antigos é surpreendente. Os cuteleiros de Damasco fabricavam as melhores facas do mundo, o segredo de como temperavam o aço durou 500 anos. Foram encontrados acessórios de alumínio entre os chineses muito antes de Cristo, sendo este extraído da bauxita, que como se sabe é de difícil extração sem equipamentos modernos, como conseguiram este feito? Ligas de metal muito sofisticadas de cobre, platina e prata foram encontradas na planície peruana chamada de Nazca, como obtiveram sem tecnologia estas ligas?

VOCÊ SABIA...

Uma civilização há muito desaparecida, possuía profundos conhecimentos sobre a matéria e a energia e as leis que regem o universo. Este conhecimento chegou até nós em fragmentos, muitos deles indecifráveis.

Precisamos ver as coisas antigas com olhos novos, só assim compreenderemos nossas verdadeiras origens. Um olhar novo sobre as lendas antigas pode alterar totalmente a nossa história.

A exploração moderna nos revela no continente americano civilizações bastante avançadas. O explorador Cortez percebe com assombro que os astecas eram tão civilizados quanto os espanhóis. Hoje sabemos que eles repousavam sobre os restos de uma cultura ainda mais elevada, a dos toltecas.

Os toltecas construíram os monumentos mais gigantescos da América, as pirâmides de Teotihuacã e Cholula. Mas os próprios toltecas eram descendentes de uma civilização ainda mais perfeita, a dos maias, cujos restos foram descobertos nos matagais de Honduras, da Guatemala e do Iucatã.

Enterrada sob a desordem da natureza revela-se uma civilização muito anterior a grega, mas não inferior a ela. Missionários cristãos destruíram seus vestígios (manuscritos, altares, estátuas). Eles conheciam a matemática e astronomia, possuíam um calendário perfeito. O ano solar era de 365 dias. Na arquitetura eram iguais aos egípcios, também nos murais e afrescos.

CIÊNCIA ANTIGA

Quanto mais investigamos a ciência dos antigos, mais verificamos que seus segredos tradicionais coincidem com nossas mais modernas concepções científicas.

As teorias atômicas não foram formuladas de inicio por Demócrito, Leucipo e Epicuro, de fato o próprio Demócrito as obteve de Moschus, o fenício, o qual afirmara que o átomo era divisível. Reparem que a teoria mais antiga é também mais exata, já que os atomistas gregos criam na indivisibilidade do átomo.

No que se refere a astronomia, quanto mais antigos os conhecimentos mais exatos, segundo Tales de Mileto e Anaximandro o universo seria constituído de estrelas, formando cada uma delas um sistema solar. Em Lucrécio verificamos o conhecimento da uniformidade da queda dos corpos no vácuo.

Pitágoras, antes de Newton, criou a lei inversa do quadrado das distâncias.

Plutarco, depois de explicar a lei da gravidade, procura a origem da mesma na atração recíproca entre os corpos e diz que esta é a razão pela qual a terra atrai para si todos os corpos terrestres, o mesmo acontece com o sol e alua, os quais pelo seu magnetismo retém em sua esfera particular aquilo que atraem.

Galileu e Newton confessaram a sua gratidão a ciência antiga.

Copérnico no prefacio de sua obra dedicada ao papa Paulo III, escreve que descobriu a idéia do movimento da terra ao ler manuscritos antigos.

METALURGIA

Os antigos conheciam processos metalúrgicos muito sofisticados, como por exemplo, o temperar o cobre em certos banhos orgânicos, desta forma obtiveram instrumentos extremamente duros e penetrantes.

Conheciam também complexos processos usando minerais, através do quais obtiveram ligas raras, como o âmbar amarelo.

Os pintores modernos, daqui há um século, se fossem vivos, não reconheceriam as suas obras, os pigmentos usados pelos antigos são infinitamente superiores as melhores tintas que possuímos hoje. Os afrescos egípcios de milhares de anos aí permanecem para contar sua história.

UFOLOGIA

Não estamos sós na terra, somos ratos habitando um imenso queijo universal. Há outros mundos atrás do nosso, outras vias além daquilo que chamamos de planeta Terra.

A presença de máquinas voadoras nos textos sagrados de várias religiões, o profundo conhecimento de geometria e astronomia dos antigos, a presença em alguns objetos de certas ligas de metal só obtidas através de processos tecnológicos do nosso tempo, desenhos pré-históricos sugerindo naves e seres do espaço, não seriam evidências claras demais ?

domingo, 24 de fevereiro de 2008

NA BÍBLIA DEUS MANDOU MATAR


Ex. 20:13; “Não matarás”.


Ex. 32:27; “Assim diz o Senhor Deus de Israel, coloque cada um a espada do seu lado. Passai e tornai pelo arraial de porta em porta e mate cada um a seu irmão e cada um a seu amigo e cada um a seu vizinho”.


1 Sam. 6:19; “Mas feriu o Senhor os homens de Bete-Semes, porque olharam para dentro da arca do Senhor; feriu do povo setenta homens. O povo se entristeceu, porque o Senhor fizera tão grande morticínio entre eles”.


15:2,3; “Assim diz o Senhor dos exércitos: Castigue a Amaleque pelo que fez a Israel quando se lhe opôs no caminho, quando este subia do Egito. Vai agora e fere a Amaleque e destrói totalmente a tudo o que tiver. Nada lhe poupes; matarás a homens e mulheres, meninos e crianças de peito, bois e ovelhas, camelos e jumentos.”


Num. 15:36; “Portanto, toda a congregação o levou para fora do acampamento e o apedrejaram até que morreu, como o Senhor ordenara a Moisés”.

Compartilhe!

Prova que os EUA desenvolvem veículos voadores (tipo OVNIS)

Imagens Secretas de OVNIS da NASA

Vídeo incrível da NASA captura o que parece ser uma gigantesca nave alienígena.

Twitter